O presidente da Câmara de Vereadores de Curitiba, João Cordeiro, o João do Suco (PSDB), assumiu o cargo defendendo a transparência, mas ele próprio optou pelo silêncio. Nesta manhã de segunda-feira ele não quis falar com a imprensa que o aguardava na sessão da Câmara. Disse apenas que falaria dentro de alguns dias.

Depois de ter seu nome relacionado aos escândalos da CMC, quando viu seu ex-funcionário Humberto Schvabe ser acusado de ter recebido R$ 75 mil reais ilegalmente quando estava lotado em seu gabinete, o presidente se defendeu e disse não existir conflito o fato dele (Humberto) estar lotado em seu gabinete e ao mesmo tempo receber, mesmo indiretamente, recursos do Legislativo.

Fonte: Jornale.com – Júlio César Lima