As investigações sobre a perseguição policial na madrugada de 12 de maio, na Praça Espanha, em Curitiba, que terminou na morte do publicitário Andrei Gustavo Orsini Francisquini, 35 anos, tiveram mais um capítulo nesta quinta-feira (23). A delegada de polícia Daniela Corrêa Andrade, responsável pelo caso, disse que os policiais militares podem ter se esquecido de mencionar os disparos efetuados na Avenida Vicente Machado, contra o carro de Andrei, durante a primeira abordagem policial feita naquela madrugada. A delegada se refere ao fato dessa informação não constar no boletim de ocorrência (B.O.) registrado pela Polícia Militar (PM), que menciona disparos com arma de fogo apenas na praça, já no desfecho da perseguição.

Fonte: Tribuna do Paraná
Clique aqui para ler a matéria completa