A qualificação profissional teve papel de destaque na Fundação de Ação Social (FAS) em 2018.

O programa Liceus de Ofícios, referência para as pessoas que buscam especialização ou uma oportunidade de entrar no mercado do trabalho, ofereceu 28.905 vagas em 2018. Em 2016, apenas 6.650 vagas foram ofertadas pelo programa. Em 2017, no primeiro ano da atual gestão, foram 12.030 vagas.

São 110 diferentes cursos, em parcerias com o Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee-PR), Senai, Sesc, a Electrolux e o Instituto Zonta.

Pela primeira vez, a população pode fazer cursos como o de Língua Brasileira de Sinais (Libras), além dos já conhecidos de informática básica, manutenção de computadores, costura industrial e operador de processos de produção, entre outros.

“Isso é resultado de um intenso trabalho estruturado em 2017, quando o programa Liceus de Ofícios foi encontrado sem recursos e com unidades ociosas”, explica o superintendente da FAS Trabalho, Heitor Manfrinato.

Davi Henrique Prepichine, 17 anos, se inscreveu no curso de assistente de produção industrial que a Prefeitura está oferecendo no Caximba, em parceria com o Senai e a Associação das Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (Aecic). O curso começou em setembro e terá 18 meses de duração, com possibilidade de contratação.

“Quero conseguir um lugar no mercado de trabalho, fazer uma faculdade e só crescer”, disse o Davi, que foi o primeiro colocado no processo seletivo do curso.

População de rua

A FAS também investe na formação profissional de pessoas em situação de rua. Em 2018, foram ofertadas 1.878 vagas em 25 cursos – 848 pessoas se inscreveram. Entre as opções de curso estavam telemarketing, porteiro e zelador, informática básica.

E para melhorar a qualidade do atendimento a todos os trabalhadores, a Prefeitura iniciou a modernização dos postos do Sistema Nacional de Emprego (Sine), localizados nas Ruas da Cidadania.