Curitiba é o terceiro destino de negócios mais procurado por estrangeiros, de acordo com a Demanda Turística Internacional, pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e divulgada nesta terça-feira (11/6).

De acordo com o MTur, Curitiba passou a ser o terceiro destino mais procurado para o turismo de negócios, eventos e convenções. O primeiro lugar ficou com a cidade de São Paulo, seguida por Rio de Janeiro. No ano passado, a capital paranaense estava em quarto lugar no ranking, atrás de Porto Alegre.

O estudo também mostra que 95,9% dos visitantes para negócios chegam a Curitiba por via aérea e apenas 4,1% por via terrestre.

Para Tatiana Turra, presidente do Instituto Municipal de Turismo, o resultado é um reconhecimento ao bom trabalho feito e à qualidade do receptivo. “Temos várias ações para impulsionar o turismo de negócios e eventos e os números revelam que estamos no caminho certo”, disse ela.

Curitiba conta com uma excelente infraestrutura para eventos com espaços para até sete mil pessoas, hotelaria de qualidade com 20 mil leitos, além de uma extensa e variada oferta gastronômica, atrativos turísticos, e ainda incentivo fiscal para atrair novos parceiros.

“Um grande benefício que Curitiba oferece para a realização de eventos é a redução da alíquota do ISS, diminuímos a taxa de 5 para 2%”, reforça Tatiana Turra.

A pesquisa

Foram entrevistados 39.811 turistas, no ano passado, em todo o Brasil. Os locais escolhidos para a coleta de dados foram os aeroportos internacionais, postos de fronteira terrestres, pontos de migração e postos da polícia federal.

A Pesquisa do Turismo Internacional Receptivo no Brasil é realizada desde 1974 – no início pela Embratur e a partir de 2009 pelo Ministério do Turismo.

Europeus ficam mais tempo

A maioria dos turistas que visita o Brasil é proveniente dos países da América do Sul (61,2%). Em seguida estão os europeus (22,1%) e os norte-americanos (10,4%).

Apesar de ocuparem o primeiro lugar em demanda de turistas, os latino-americanos permanecem poucos dias e gastam menos que os europeus.

Os turistas de negócios vindos da Europa – em especial os italianos, portugueses e espanhóis – permanecem até três vezes mais que os visitantes da América do Sul.

Hospitalidade em alta

É positiva a avaliação feita pelos turistas que visitaram o Brasil: 87,7% revelaram que a viagem superou ou atendeu plenamente as expectativas.

As melhores avaliações são para hospitalidade (97,9%), alojamento (96,7%), gastronomia (95,9%) e restaurantes (95,8%).