O início do desfralde sempre gera grandes dúvidas nos pais. Esse deve ser um momento tranquilo que exige muita paciência e dedicação.

Retirar a fralda das crianças é um processo que exige muita paciência. “Algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses e precisar de maior atenção, ” informa Drª Loretta Campos. Conheça as dez dicas para o início do desfralde e os erros mais comuns.

1) Começar antes da hora – o ideal é a partir dos dois anos pois nesta fase as crianças têm autonomia para andar, tirar a roupa e expressar que estão incomodadas com o cocô.

2) Expor a criança em lugares públicos – ir ao banheiro é algo privado, portanto, tente utilizar o sanitário com a porta fechada e penico sempre no banheiro, nunca na sala, quarto.
3) Delegar a tarefa unicamente para a escola – tente começar a retirada das fraldas em casa, de preferência nas férias, sem muito estresse. A escola deve ser só um apoio.
4) Pressionar a criança para ser rápida – o desfralde requer tempo e paciência. Leve livrinhos, joguinhos para tornar o momento prazeroso.
5) Não providenciar itens de apoio – precisa providenciar um penico ou redutor de vaso sanitário. A criança precisa de conforto. E se faz necessário o apoio para os pés!
6) Esperar a criança pedir para ir ao banheiro – comece retirando a fralda do dia e pergunte ou leve a criança ao banheiro a cada duas horas.
7) Dar bronca se a criança não consegue se segurar – nunca diga você se sujou de novo ou você não aprende.
8) Fazer cara de nojo quando acontece um escape – os escapes, principalmente os noturnos, são frequentes. Pode durar em média até os quatro anos e algumas crianças até seis anos de idade.
9) Colocar roupas difíceis de tirar – se a criança pede para ir ao banheiro os pais têm de agir rápido.
10) Escolher um momento de estresse para tirar a fralda – toda paciência é pouca.

Loretta Campos

Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Fonte: Assessoria