O governador Beto Richa lançou nesta terça-feira (20/11) em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, o programa Geladeira da Família, que vai distribuir 12 mil geladeiras de graça a famílias de baixa renda, até o início do próximo ano. As primeiras geladeiras foram repassadas durante a entrega de 241 casas novas para moradores do Residencial Madre Teresa de Calcutá.

Além das geladeiras e das casas construídas pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), as famílias receberam um kit de eficiência energética, composto por chuveiro elétrico com recuperação de calor e um conjunto de lâmpadas fluorescentes. “O programa Geladeira da Família tem um alcance social enorme, porque também garante melhor alimentação às pessoas, com a conservação mais adequada de alimentos”, afirmou o governador Beto Richa.

O novo programa foi concebido em parceria com a Copel e tem o objetivo de, ao mesmo tempo, garantir mais conforto e qualidade de vida às famílias de menor renda e promover o consumo consciente de energia, com o uso de equipamentos mais modernos. A Copel também será responsável por orientar as famílias a utilizar de forma correta os itens para economizar energia.

Richa destacou o compromisso do governo estadual em ampliar programas sociais e disse que a entrega dos itens de eficiência energética demonstra atenção às pessoas mais necessitadas. Segundo o governador, o objetivo do programa é auxiliar as famílias de baixa renda a reduzir a conta de luz no final do mês e contribuir para a sustentabilidade ambiental. “Uma inovação que será levada para outras regiões do Estado”, afirmou ele.

MORADORES – Para a dona de casa Lucivania Ferreira Santana, os equipamentos recebidos e a nova residência representam uma mudança total na qualidade de vida dela e de suas três filhas. “Receber uma casa nova e equipada com uma geladeira é o sonho de toda mulher. Além disso, agora estamos morando num local limpo e seguro”, afirmou. A família residia numa área de risco e mês passado uma forte chuva comprometeu a estrutura da casa.

Teodorico de Lima, pedreiro, recebeu uma casa no conjunto e disse os itens que melhoram o consumo de energia são fundamentais para a redução das despesas domésticas. Ele, a esposa e cinco filhos moravam em um espaço que tinha apenas duas peças. “Vivíamos amontoados. Agora, tudo vai melhorar. E ainda por cima, ganhamos uma linda geladeira nova”, concluiu.

A geladeira fornecida pelo programa tem capacidade de 250 litros e selo do Programa Nacional de Conservação de Energia (Procel), que confere alta eficiência ao eletrodoméstico. Os chuveiros dispõem de um recuperador de calor, que funciona através de serpentina que fica sobre o piso do banheiro e absorve o calor da água quente que cai, fazendo com que a quantidade que sobe já esteja pré-aquecida. O equipamento permite utilizar um chuveiro de 3.200 watts de potência com o mesmo conforto de um equipamento de 5.400 watts.

As lâmpadas fluorescentes compactas que equipam as moradias do conjunto Madre Tereza têm potência de 15 e 25 watts, que permite dispor de uma iluminação semelhante à proporcionada por lâmpadas incandescentes de 60 e 100 watts. O investimento nos itens entregues aos moradores do residencial foi de R$ 1,3 milhão, custeado pela Copel.

CADASTRO – O presidente da empresa, Lindolfo Zimmer, explicou que o Geladeira da Família atende moradores de conjuntos habitacionais com projeto de eficiência energética aprovado Agência Nacional Energia Elétrica (Anel) ou consumidores residenciais de baixa renda com consumo mensal de até 220 kWh.

A família precisa estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e possuir o Número de Identificação Social (NIS). “Enquanto o Governo do Paraná, por meio da Cohapar, proporciona moradia digna a essas pessoas, a Copel garante meios para que a eletricidade seja usada de forma eficiente, segura e sem desperdício”, disse Zimmer.

Todas as famílias contempladas são orientadas pela Cohapar a obterem o seu Número de Identificação Social – NIS, para que se enquadrem na tarifa social de baixa renda e, quando o consumo mensal não ultrapassar a 100 quilowatts-hora, tenham sua conta de luz quitada pelo Governo do Estado por meio do programa Luz Fraterna.

PRIORIDADE – Richa ressaltou que habitação é uma das prioridades da gestão, conforme já estabelecido no plano de governo. O programa Morar Bem Paraná – em cooperação com o programa Minha Casa, Minha Vida – está atendendo até aqui 44 mil famílias de baixa renda em 369 municípios do Estado.

Os investimentos ultrapassam R$ 1,5 bilhão. A meta é atender cerca de 110 mil famílias até final de 2014, sendo 10 mil unidades novas na área rural, além de quatro mil com reformas e ampliações. “Nosso compromisso é chegar em 100% dos municípios do Paraná. Um grande esforço para garantir dignidade aos paranaenses”, disse Richa.

O presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche, informou que o objetivo do governo é reverter o déficit de moradias com integração entre os governos estadual e federal. Ele comentou ainda os benefícios do programa energético. “Um grande projeto para reduzir custos com energia para as famílias, que se alia a um programa que assegura moradia digna para milhares de paranaenses”, disse ele.

O secretário destacou que os investimentos são resultado da parceria entre o Estado, o governo federal (Caixa Econômica/Ministério das Cidades) e as prefeituras municipais. “Sempre com entendimento e diálogo estamos avançando e garantindo o desenvolvimento social das nossas cidades”, afirmou.

INVESTIMENTOS – A solenidade de lançamento do programa Geladeira da Família e a entrega das casas contou com a presença do prefeito de Piraquara, Gabriel Samaha, e dos deputados estaduais Rasca Rodrigues e Mara Lima. “Isso tudo não aconteceria sem a parceria entre os governos e o município”, disse o prefeito. De acordo com ele, a área do novo conjunto faz parte do maior projeto de urbanização do Sul do País.

A revitalização do bairro Guarituba, onde está o residencial Madre Teresa, terá investimentos de R$ 98 milhões para o resgate social de mais de oito mil famílias. O projeto inclui a construção de casas, obras de infraestrutura viária e regularização fundiária. Os recursos são do PAC e incluem contrapartida de R$ 25 milhões do governo do Paraná.

Após a retirada das famílias de áreas ocupadas irregularmente será realizada a recuperação ambiental e criação de três parques com infraestrutura de lazer e preservação do meio ambiente, evitando a reocupação dos lotes.

Fonte: Agência Estadual de Notícias